CAAF sugere à Prefeitura aquisição de produtos da agricultura familiar

caaf@caaf.agr.br
23/04/2020

CAAF sugere à Prefeitura aquisição de produtos da agricultura familiar

Documento foi entregue ao prefeito Flávio Cassina, solicitando utilização de recursos do PNAE para a compra de alimentos visando a atender demandas sociais geradas por conta da pandemia de coronavírus


Compartilhar:

A Cooperativa de Agricultores e Agroindústrias Familiares de Caxias do Sul (CAAF) sugeriu ao Executivo Municipal a utilização de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), para a compra de alimentos da agricultura familiar visando a atender demandas sociais geradas por conta da pandemia de coronavírus. O pedido se baseia na lei 13.987, de 7 de abril de 2020, que autoriza os municípios a utilizarem os recursos para fins de compra de alimentos a serem disponibilizados para as famílias carentes, conforme resolução do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) 02, de 9 de abril de 2020.

A solicitação foi feita ao prefeito Flávio Cassina, na tarde de quarta-feira (22/04), por dirigentes da Cooperativa. O presidente da CAAF, Leonar Seefeld, e o gerente Marcos Regelin entregaram o documento no gabinete do prefeito, acompanhados pela vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares de Caxias do Sul, Bernardete Onsi. Também participaram os secretários Agricultura,Pecuária e Abastecimento, Valmir Susin, e da Educação, Flávia Vergani, e os vereadores Velocino Uez e Denise Pessôa.

O pedido da CAAF tem o objetivo de auxiliar na manutenção de renda para os agricultores associados à Cooperativa. A CAAF foi criada em 10 de novembro de 2010. Atualmente, conta com  288 agricultores associados, sendo 198 do interior de Caxias do Sul. 

A Cooperativa tem como objetivo principal organizar a produção de seus associados junto aos mercados institucionais, entre eles, o da merenda escolar. Com a suspensão das aulas da rede municipal e estadual em razão da pandemia doCOVID-19, foram interrompidos 70% dos mercados da Cooperativa.

“Isso gerou a desestruturação do mercado para os produtos dos associados, que já vinham sofrendo com a estiagem prolongada. Por isso, estamos solicitando que seja implantada essa possibilidade, para dar prioridade aos produtos da agricultura familiar, fortalecer a economia local e, assim, mantermos o mínimo de renda para a maioria de nossos cooperados”, afirma Regelin, ratificando as palavras do presidente Leonar Seefeld no documento entregue a Cassina. 

SUBIR